Notice: Undefined variable: post_ID in /home2/salvatorianasorg/sites/educacao/imaculada/blog/wp-content/themes/blog-salvatoriano-2017/single.php on line 76
Notícias

Padre Francisco Jordan é beatificado com transmissão ao vivo para todo o mundo

Emoção e fé marcaram a Santa Missa e o Rito de Beatificação do padre Francisco Maria da Cruz Jordan, na manhã deste sábado, 15 de maio, na Basílica São João de Latrão, em Roma. A Família Salvatoriana em todo o mundo e toda a Igreja acompanharam a cerimônia presidida pelo cardeal, vigário do Papa Francisco para a Diocese de Roma, Angelo de Donatis. A sua beatificação é motivo de muita alegria e esperança para todos os membros da Família Salvatoriana, pois a Igreja reconhece a santidade de um homem que passou toda a sua existência terrena para fazer conhecer Jesus Cristo, como o Salvador do mundo.

A celebração de beatificação do Padre Francisco Jordan, Apóstolo para Além das Fronteiras, foi introduzida por um prelúdio – oração e meditação, que destacou um dos elementos do carisma Salvatoriano – “a universalidade”, evidenciando a presença da Família Salvatoriana nos cinco continentes. A assembleia reunida foi convidada a rezar pelo povo de cada continente, iluminados pelas palavras do próprio Padre Jordan.

RITO DE BEATIFICAÇÃO

O rito de beatificação teve início com o Padre Milton Zonta, superior geral da Sociedade do Divino Salvador, pedindo ao cardeal Angelo de Donatis que o Padre Francisco Maria da Cruz Jordan fosse inscrito como beato, e seguiu com a leitura do breve perfil biográfico sobre o Venerável Servo de Deus, esta leitura foi feita pelo postulador geral, Padre Adam Teneta.

Em nome do Papa Francisco, o Cardeal Angelo de Donatis realizou a leitura da Carta Apostólica, com a qual o Sumo Pontífice escreveu no número dos Bem-aventurados, o Venerável Servo de Deus Francisco Maria da Cruz Jordan. As letras apostólicas que foram lidas: “Nós, acolhendo o desejo do nosso Irmão Cardeal D. Angelo De Donatis, nosso Vigário Geral da Diocese de Roma, e de muitos outros Irmãos no Episcopado e de numerosos fiéis, depois de termos ouvido o parecer da Congregação para as Causas dos Santos, com a nossa Autoridade Apostólica concedemos que o Venerável Servo de Deus FRANCISCO MARIA DA CRUZ (no mundo João Batista Jordan) presbítero, fundador da Sociedade do Divino Salvador e da Congregação das Irmãs do Divino Salvador, que usando de todos os meios que o amor de Cristo o inspirava, foi animado pelo zelo apostólico e incansável arauto do Evangelho, doravante seja chamado Beato, e que sua festa seja celebrada em todos os lugares, no dia 21 de julho,  em conformidade com as normas prescritas por lei.”

Após ser proclamado Beato, houve o descerramento da imagem que retrata o novo Bem-aventurado Francisco Jordan, ao som do hino de louvor.  O rito se encerrou com a procissão da Relíquia do Beato, trazida pela criança, Lívia Maria Ferreira Santos Silva, ela causa hoje da beatificação do Padre Francisco Jordan, a Relíquia foi exposta no altar onde foi incensada e venerada.

Padre Milton Zonta, em nome da Família Salvatoriana devotamente agradeceu ao Sucessor do Apóstolo Pedro, Papa Francisco, ao Pai de Jesus Cristo e nosso Pai, ao Santo Deus Trino e elevam o louvor por proclamar Beato o Servo de Deus Francisco Maria da Cruz Jordan. Com alegria Pe. Milton e Pe. Adam receberam das mãos do cardeal Angelo de Donatis a Carta Apostólica do Papa Francisco.

Três fios condutores que sintetizam a vida e missão do Bem-aventurado Francisco Jordan

Na homilia da cerimônia de beatificação, o cardeal Angelo de Donatis destacou o testemunho do novo beato, trazendo três fios condutores que podem caracterizar sua vida e missão.  “O primeiro fio condutor é precisamente a meditação das Escrituras. A semente da vocação apostólica do Beato Francisco Jordan germinou através do estudo e da meditação da Palavra. Ele sente no seu coração que é chamado a fundar uma obra apostólica e compreende que  somente a escuta da Palavra de Deus pode ser o fundamento do caminho de evangelização”.

O segundo fio apresenta a síntese da obra missionária do Beato Francisco Jordan: “Anunciar a todos, para salvar todos”.  Ainda sublinha os dois verbos que se repetem muitas vezes nos textos do beato Francisco –  “‘Anunciar e Salvar’ – Ele conduzia continuamente ao seu coração aqueles que não conseguiam percorrer o caminho do Evangelho por falta de instrução e formação religiosa. A evangelização tornou-se, dia após dia, o objetivo principal da sua vida e missão, e hoje tornou-se missão da Família Salvatoriana – “Anunciar a todos para Salvar a todos”.

O cardeal Angelo de Donatis revelou que o terceiro fio é a comunhão apostólica, “a unidade que somos chamados a testemunhar em vida”. O Bem-aventurado Francisco Jordan havia compreendido plenamente o “poder evangelizador de tal comunhão apostólica, da harmonia entre as pessoas que anunciam o Evangelho”.

Ao concluir sua homilia, afirmou que “a intuição carismática do Beato Francisco guiou muitas mulheres e homens de diferentes nações e línguas para o seguimento do Evangelho e graças à obra da Família Salvatoriana contribuiu para a difusão da mensagem de salvação em mais de 50 países.”

Palavras de agradecimento

O superior geral da Sociedade do Divino Salvador, Pe. Milton Zonta ao fazer o agradecimento geral deste solene evento, ressaltou que “a graça da celebração de hoje abre para nós um novo tempo, para avançarmos sobre o guia do Bem-aventurado Francisco Jordan, que ele nos inspire a seguir Jesus Cristo, o Salvador do mundo, a maneira dos apóstolos. Sigamos o seu exemplo de santidade e de serviço, usando de todos os meios disponíveis, para que Deus seja conhecido, amado e servido em todas as fronteiras missionárias de hoje. Obrigado a todos vocês!”

BREVE PERFIL BIOGRÁFICO DO BEM-AVENTURADO FRANCISCO MARIA DA CRUZ JORDAN

O Bem-aventurado Francisco Jordan, fundador da Família Salvatoriana, nasceu aos 16 de junho de 1848 em Gurtweil, na Arquidiocese de Freiburg, na Alemanha, filho de Lorenzo e Notburga Jordan. Devido à incapacidade de seu pai no trabalho, João Batista teve que, após o ensino fundamental, contribuir com seu trabalho para a manutenção da família.

Querendo seguir sua vocação sacerdotal, já maior de idade, ele começou seus estudos, frequentando por quatro anos o ginásio-médio de Constança, e os estudos em filosofia e teologia na Universidade de Freiburg. Aos 30 anos, em 21 de julho de 1878, foi ordenado sacerdote. Seu bispo o enviou a Roma para o estudo das línguas orientais, no Instituto S. Apollinario. De Roma viajou para a Terra Santa e estudou em Ain Warqa, um centro Maronita de estudos, no Líbano (1880).

Na Terra Santa ele teve uma clara ideia da vocação para fundar uma obra apostólica com o objetivo de tornar conhecido o único Deus verdadeiro que se revelou em seu Filho, Jesus Cristo, Salvador do mundo. Ele buscou conselhos e apoio em pessoas competentes e espirituais.  Também se sentiu encorajado pela audiência privada que teve como Papa Leão XIII. Em 8 de dezembro de 1881, o Padre Francisco Jordan fundou a Sociedade Apostólica Instrutiva na capela de Sta. Brígida em Roma. A pedido eclesiástico, mudou o nome da Sociedade para Sociedade Instrutiva Católica e, finalmente, para Sociedade do Salvador Divino (Salvatorianos).

Dois anos depois, ele começou uma comunidade feminina, que logo se tornou uma congregação completamente independente de seu trabalho apostólico (Congregação das Irmãs de N. Sra. das Dores (Doloratas). Em 08 de dezembro de 1888, com a ajuda de Therese von Wüllenweber, hoje Bem-aventurada Maria dos Apóstolos, fundou a Congregação das Irmãs do Divino Salvador em Tivoli, perto de Roma. De acordo com sua inspiração original, ele também conseguiu reunir vários grupos crescentes de leigos, interessados em realizar a mesma missão apostólica, na Igreja.

Motivado por seu ardente zelo apostólico e a determinação de usar todos os meios e modos que o amor de Cristo inspirar, para alcançar o propósito de sua fundação, logo começou novos apostolados e seu Instituto começou a crescer. Já em 1890, a Congregação da Propaganda Fide confiou-lhe a prefeitura apostólica da missão em Assam, no nordeste da Índia. Mais tarde, o trabalho apostólico do Padre Francisco Jordan teve início em vários países da Europa e nas Américas.

Em 1905, o ramo masculino recebeu o Decretum Laudis e em 1911 a aprovação final. No mesmo ano, o ramo feminino também recebeu o Decretum Laudis e, posteriormente, em 1926, aprovação final. Em 1915, quando a Primeira Guerra Mundial se intensificou, o governo da Sociedade teve que se mudar para a Suíça. O Servo de Deus morreu aos 08 de setembro de 1918 em Tafers, perto de Freiburg, Suíça, e foi sepultado, por ordem do bispo diocesano, na igreja paroquial. Em 1956 seus restos mortais foram transladados para Roma e colocados na capela lateral da Casa Mãe da Sociedade do Divino Salvador.

Seu processo de beatificação foi iniciado em Roma em 1942; e o Padre Francisco Jordan foi declarado Venerável em 14 de janeiro de 2011 pelo Papa Bento XVI, e o decreto do milagre foi aprovado em 19 de junho de 2020, por S.S. Papa Francisco.

Bem-aventurado Francisco Jordan, rogai por nós!

Confira o álbum de fotos: https://bit.ly/3foSxqZ

Outros conteúdos